sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A HISTÓRIA DO "GUERNICA"


GUERNICA: denúncia a uma tragédia

Um dos quadros mais conhecidos e comentados da história é, sem dúvida, o Guernica, do genial Pablo Picasso.
Guernica é uma antiga cidadezinha da região basca da Espanha, país de origem de Picasso.
Em 1937, a Espanha vivia os efeitos da Guerra Civil, resultado do conflito travado entre duas facções políticas: de um lado, os republicanos; de outro, as forças extremistas da direita lideradas pelo general Franco, apoiado pelo Nazismo alemão e pelo Fascismo italiano.
Em abril de 1937, com a finalidade única de mostrar força, Franco ordenou que aviões alemães bombardeassem a indefesa Guernica. Da população de 7 mil pessoas, 1654 foram mortos e 889 feridos.
Picasso, indignado com o fato, pintou o quadro Guernica em poucas semanas denunciando e procurando despertar a opinião pública para a tragédia.
Por ordem do pintor, a obra permaneceu em Paris, até o fim da Ditadura franquista, em 1975. Atualmente o quadro se encontra em Madri.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A INCRÍVEL CONQUISTA DA AMÉRICA PELOS ESPANHÓIS

UMA AMÉRICA SUBJUGADA

Um dos acontecimentos mais impressionantes da história foi a rapidez com que os espanhóis subjugaram os índios americanos. Digo impressionante pela relativa facilidade com que eles estabeleceram um domínio permanente, organizado. Como os invasores, em número tão reduzidos conseguiram dominanr regiões como o México Central que em 1515 era povoada por cerca de onze milhões de pessoas?
Certamente para compensar a desvantagem númerica, os europeus tinham alguns "trunfos".
O primeiro deles, certamente, foi o armamento. Enquanto os índios usavam armas primitivas, os espanhóis empregavam espadas. lanças, armaduras de aço, bestas, mosquetes, cavalaria montada e navios armados de canhões.
A segunda vantagem espanhola foram os grupos indígenas desconatentes com suas lideranaças fazendo com que muitos deles apoiassem os conquistadores ou reagissem com certa passividade.
A terceira vantagem era a fé missionária. Trata-se da convicção de que, os santos estavam ao seu lado, de que a sua religião os capacitava a vencer.
Por fim, os espanhóis tinham algumas vantagens morais. Eles não duvidaram nunca de que estivessem combatendo homens mortais, enquanto os indígenas não podiam ignorar a possibilidade de que Cortês, por exemplo, pudesse ser uma reencarnação do Deus Quetzacoatl vindo para reclamar seu reino na terra.
Essas vantagens foram determinantes para a rápida conquista espanhola em solo americano.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

"NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESSE PAÍS"

Nunca antes na história desse país.

Talvez uma das frases mais ditas pelo agora ex-presidente lula tenha sido "nunca antes na história desse país". E certamente, eliminando os exageros do seu discurso que tenta aproximar o seu governo à algumas de suas promessas que não foram possiveis realizar, o fome zero por exemplo, essa frase tem o seu "q" de verdade.
Nunca antes na história desse país, o povo foi tão beneficiado com a política federal de assistência social. Por povo entende-se a parcela da população que é excluída da elite política e social mesmo sendo a que mais contribui para o progresso da nação.

Durante o período colonial, o povo era o escravo e aqueles homens livres que se submetiam a regimes de trabalho não muitos diferentes da escravidão. O povo do Brasil Imperial, apresentava as mesmas características ainda que tivesse mais condições de lutar por uma vida melhor. Nesse período a assintência social era praticamente nula. Já o povo do início da República era cheio de esperanças, tanto que procurou estar em ordem para ver se o progresso realmente viria. A ordem não trouxe o progresso desejado. As inquietações desse período era de um povo que queria apenas ser visto e atendido no seu desejo de viver em um país melhor.
1930 foi um marco. Nunca antes na história desse país a classe trabalhadora havia sido tão beneficiada pela legislação federal. Muitos dizem que Getúlio Vargas era a mão dos ricos, mas isso não é mais marcante do que ser pai dos pobres. Os pobres até então eram órfãos. Olhando um pouco mais para o governo Lula, nunca antes na história desse país a classe baixa havia visto diminuir as desigualdades sociais. Muito ainda há para ser feito, mas o primeiro passo foi dado.