terça-feira, 29 de março de 2011

O ROMANCE BRASILEIRO E A REALIDADE NACIONAL

Com a independência, em 1822, os artistas e intelectuais brasileiros empenharam-se em definir uma identidade cultural do país. Afinal, o que era ser brasileiro naquele momento? Qual a nossa língua, nossa raça, nosso passado histórico, nossos costumes e tradições?

O romance, muito mais que a poesia, procurou dar respostas a essas perguntas, assumindo o papel de principal instrumento de construção da cultura brasileira. Assim, está radicalmente ligado ao reconhecimento dos espaços nacionais, identificados como a selva, o campo e a cidade que deram origem, respectivamente, ao romance indianista e histórico, ao romance regional e ao urbano.

José de Alencar, por exemplo, considerado por muitos o maior romancista do nosso romantismo, escreveu obras que enfocaram esses três espaços, como o guarani, romance histórico-indianista, o gaúcho, romance regional e senhora, romance urbano.

Um comentário:

Anônimo disse...

muito interesante Este assunto que vc abrangeu