domingo, 15 de junho de 2014

ONDE ESTÁ A AMÉRICA E QUEM SÃO AMERICANOS?


        Algumas expressões são capazes de nos deixar confusos se já não estivéssemos acostumados com elas. Por que geralmente a palavra "América" é empregada para se referir único e exclusivamente aos Estados Unidos e a palavra "americanos" aos estadunidenses? 
       É indiscutível que todas as pessoas que nascem no continente americano são americanos e a América é um continente que reúne 35 países e 18 dependências. Por que então anula-se tudo isso em detrimento de um único país e uma única nacionalidade?
       Pode-se explicar toda essa confusão pela extrema capacidade que os Estados Unidos tiveram de influenciar ideologicamente principalmente a América. A expressão "a América para os americanos" foi cunhada ainda no século XIX e demonstrava o interesse do então presidente daquele país em controlar todo o continente (A chamada Doutrina Monroe foi anunciada pelo presidente James Monroe, presidente de  1817 a 1825, em sua mensagem ao Congresso em 2 de dezembro de 1823). A palavra "americanos" já se referia aí aos estadunidenses. 
       A política econômica e militar dos EUA ao longo de todo o século XX reafirmou claramente tal intenção e o imperialismo cultural tratou de fazer uma lavagem celebral, ao sorateiramente divulgar os EUA como um exemplo que deveria ser seguido em tudo. A propaganda e ilusão da superioridade de um só país que acaba por levar as pessoas a tê-lo como representante legal de todo o continente.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

POR QUE LIBERTADORES DA AMÉRICA?




Os amantes do futebol certamente adoram assistir aos jogos de uma das competições mais tradicionais da América. No entanto, poucas pessoas se perguntam o porque que a mesma se chama Libertadores da América. Não precisa ser expert em História para pensar em dois personagens importantes no processo de independência das colônias da Espanha nesse continente. 

Sim, esta nomenclatura é uma homenagem a Simon Bolivar e San Martin. Bolívar atuou na libertação do norte da atual Venezuela, Nova Granada e Quito, e San Martín garantiu a independência da Argentina, libertando também Chile e Peru.

terça-feira, 3 de junho de 2014

A HISTÓRIA E A VIDA


Quem disse que a História é tão e somente o estudo do passado? Não demos a ela uma definição que nos induz a acreditar que a História nos tem pouca utilidade, ou nenhuma. Certo dia, um filho perguntou ao seu pai para que serve a História. Sua resposta rendeu um livro. Para alguns ela serve como passa tempo; para outros, para matar a curiosidade. A utilidade da História é inegável, e vivemos como vivemos por causa do passado que tivemos. Nunca me esquecerei da data em que nasci, da minha infância, da adolescência, da juventude, das experiências que tive, dos objetivos alcançados e dos frustrados. O que eu sou hoje dependeu totalmente do que eu fui. E o meu passado me é útil na medida em que eu saberei dos acertos e dos erros que cometi. Terei condições de saber quem eu sou e porque eu sou como sou e, principalmente, saberei onde preciso mudar. Uma pessoa que esquece seu passado é alguém que está sujeita aos mesmos erros e não sabe a medida exata daquilo que ela precisa para atingir seus objetivos. A História está tão presente no presente, que ela nos ajuda a entender nossas forças e deficiências. Aquele pai disse ao seu filho que a História é a ciência dos homens no tempo. Isso porque a história acompanha as transformações sofridas pelo homem através de suas gerações, ela então vence as barreiras da linha que divide o tempo em passado, presente e futuro. Se devemos dar a Cezar o que é de Cezar, então daremos também à História o grau de relevância que ela merece.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O IMPERIALISMO E SEUS EFFEITOS


Um dos acontecimentos que mais marcaram o mundo na contemporaneidade foi certamente, o imperialismo do final do século XIX ou neocolonialismo. A ânsia por conquistas de mercados (consumidores e produtores de matéria-prima) e as diversas formas de se conseguir riquezas, mudou o mapa político dentro e fora da Europa, tornou a África uma tragédia quando ela foi ocupada, dividida, explorada e sua variedade étnica desconsiderada. Um continente mergulhado em guerras civis cada vez mais sanguinolentas e que ainda hoje mancham a terra em diversos pontos daquele continente. Foi na África onde o neocolonialismo se mostrou mais maléfico. Não houve sequer algo parecido na Ásia e muito menos na Ámerica. 

O imperialismo esteve no centro causador da Primeira Guerra Mundial. Países europeus foram praticamente varridos do mapa e se viu o surgimento de alguns outros. Além disso, a referida guerra deu aos Estados Unidos a oportunidade de assumirem a liderança político, econômico e militar do mundo ocidental e foi tão mal acabada que, para muitos, a Segunda Guerra Mundial foi a continuação dela. Enquanto a primeira foi o estopim da Revolução Russa, da Segunda Guerra, surgiu talvez o maior conflito ideológico da história: Capitalismo X Socialismo que marcou o mundo a partir dos anos 1945.

A história do século XX pode, sem perca de detalhes, ser contada a partir desses acontecimentos e aumentar a nossa capacidade de compreender as principais características do mundo que nos cerca.