terça-feira, 3 de junho de 2014

A HISTÓRIA E A VIDA


Quem disse que a História é tão e somente o estudo do passado? Não demos a ela uma definição que nos induz a acreditar que a História nos tem pouca utilidade, ou nenhuma. Certo dia, um filho perguntou ao seu pai para que serve a História. Sua resposta rendeu um livro. Para alguns ela serve como passa tempo; para outros, para matar a curiosidade. A utilidade da História é inegável, e vivemos como vivemos por causa do passado que tivemos. Nunca me esquecerei da data em que nasci, da minha infância, da adolescência, da juventude, das experiências que tive, dos objetivos alcançados e dos frustrados. O que eu sou hoje dependeu totalmente do que eu fui. E o meu passado me é útil na medida em que eu saberei dos acertos e dos erros que cometi. Terei condições de saber quem eu sou e porque eu sou como sou e, principalmente, saberei onde preciso mudar. Uma pessoa que esquece seu passado é alguém que está sujeita aos mesmos erros e não sabe a medida exata daquilo que ela precisa para atingir seus objetivos. A História está tão presente no presente, que ela nos ajuda a entender nossas forças e deficiências. Aquele pai disse ao seu filho que a História é a ciência dos homens no tempo. Isso porque a história acompanha as transformações sofridas pelo homem através de suas gerações, ela então vence as barreiras da linha que divide o tempo em passado, presente e futuro. Se devemos dar a Cezar o que é de Cezar, então daremos também à História o grau de relevância que ela merece.

Um comentário:

Raiz Crespa Por Vânia Luz disse...

Muito interessante.
Gostei do blog, textos curtos e fácil absorção.