domingo, 30 de novembro de 2014

CONSCIÊNCIA NEGRA?

Sobre o Dia da Consciência Negra, devemos nos perguntar o porquê de ter sido escolhido o dia 20 de novembro e o que significa o termo consciência negra.

Ao responder a essas perguntas, temos que voltar ao ano de 1695, no dia 20 de novembro. Dia em que morreu um jovem negro conhecido por todos como Zumbi, líder do Quilombo de Palmares, independente das controvérsias em torno do referido ideal libertador de Zumbi dos Palmares.

Zumbi nos é importante porque no momento em que Palmares estava destruído, arrasado pelas tropas oficiais. Quando tudo parecia perdido, ele acreditou que ainda haviam possibilidades de um futuro melhor para ele e para seu povo. Organizou uma resistência. Não se entregou às dificuldades. Teve orgulho do que ele era, de sua história e não desistiu de seu maior sonho.

Zumbi então nos mostra que não podemos nos entregar às dificuldades do dia-a-dia. Temos que conhecer a nossa história e ter orgulho da nossa afro-descendência. Esse é o primeiro passo para superarmos as dificuldades e conquistar os nossos sonhos.

E a consciência negra é isso. É termos essa certeza. É despertar o orgulho de ser negro e não se entregando às dificuldades, termos condições de transformar nossa vida, valorizando a nossa cultura e acreditando em nosso potencial.


Então o dia da consciência negra é apenas um dia simbólico, pois em todos os dias do ano, nós devemos ter essa consciência.  Consciência humana que zela pelo respeito ao próximo e pela certeza de que o nosso passado não nos envergonha e sim nos faz mais fortes. Somos todos iguais em direitos e deveres.


Adriano Santos

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O MASSACRE DA PRAÇA DA PAZ CELESTIAL



A Praça Tiananmen, ou Praça da Paz Celestial, está situada no centro de Pequim. Entre abril e junho de 1989, o local foi palco de seguidos protestos estudantis, que exigiam a democratização do país e denunciavam a corrupção do governo chinês. Na noite de 3 de junho, o governo enviou tropas e tanques para acabar com os protestos. A Cruz Vermelha Internacional (organização politicamente independente que presta assistência a vítimas de guerra) calcula que a repressão tenha provocado a morte de quase três mil pessoas e deixado cerca de dez mil feridos.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

TIPOS DE DEMOCRACIA


 A democracia direta e a democracia indireta expõem as mudanças e limitações do sistema representativo.  È comum se ler e (ou) ouvir que existe principalmente dois tipos de se organizar a democracia. A primeira é a direta e a outra é a indireta. A democracia direta era daquele tipo que ocorria na Grécia. Todos os cidadãos se reuniam na Ágora para tomarem decisões refentes à cidade-estado. A democracia indireta tornou-se uma necessidade na medida em que o número de cidadãos iam aumentando to que tornava inviável a contagem de votos e a organização das assembléias.  

Na democracia indireta, os cidadãos elegem alguns individuos que tomarão as decisões por eles. É a chamada democracia representativa e os exemplos de representantes do povo são os deputados, senadores, vereadores, prefeitos, governadores e presidentes. 

É bastante comum também se ouvir que a democracia brasileira é indireta e representativa. Vale lembrar no entanto, que a nossa democracia permite a participação direta dos cidadãos em alguns casos como em plebiscitos, referendos, apresentação de propostas de leis de iniciativa popular e até mesmo no orçamento participativo, realidade em algumas prefeituras. Por isso então pode-se afirmar que a democracia brasileira é semi-direta.

Iniciativa popular é um instrumento da democracia direta ou democracia semidireta que torna possível à população apresentar projetos de lei, foi o caso por exemplo da Lei da Ficha Limpa.

Atualmente, plebiscito é a convocação dos cidadãos que, através do voto, podem aprovar ou rejeitar uma questão importante para o país. O plebiscito é um mecanismo democrático de consulta popular, antes da lei ser aprovada.

Referendo é uma forma de consulta popular sobre um assunto de grande relevância, na qual o povo manifesta-se sobre uma lei após esta estar constituída. Desta forma, o cidadão apenas ratifica ou rejeita o que lhe é submetido.

Orçamento Participativo é um mecanismo governamental de democracia participativa que permite aos cidadãos influenciar ou decidir sobre os orçamentos públicos, geralmente o orçamento de investimentos de prefeituras municipais, através de processos da participação da comunidade.

terça-feira, 29 de julho de 2014

TERRA SANTA: LADO A LADO COM A GUERRA


Ser conhecida como Terra Prometida por Deus ao povo de Abraão não deu a Canaã, ao longo dos milênios que se seguiram, a paz que tão peculiar história poderia sugerir. O conflito que atualmente mancha de sangue a Terra Santa, é uma versão iniciada em 1948 de guerras pelo controle territorial das quais o próprio Abraão e seu povo fizeram parte.

A promessa feita ao antigo povo hebreu não significou ausências de lutas. Hebreus, cananeus e filisteus foram rivais naquele pedaço de terra. Ao longo da história a região foi palco de invasões de diversos povos: assírios, persas, macedônios e romanos foram alguns dos principais protagonistas da antiguidade. Na Idade Média, o protagonismo principal coube à expansão islâmica e aos cruzadistas, ambos utilizando a "guerra santa" como justificativa para o derramamento de sangue. 

A violência marcou a chegada dos hebreus à Terra Santa. A violência marcou a expulsão dos hebreus da Terra Prometida. A violência marcou o retorno dos hebreus à mesma terra. O massacre aos judeus promovido pelos nazistas de Hitler, intensificou o movimento sionista e os esforços ingleses e norte-americanos para que o estado judeu fosse reinventado. Mas essa reinvenção significou a expulsão de milhares de palestinos e desde então a região vive em ritmo de guerra.


segunda-feira, 14 de julho de 2014

A LEI DA OFERTA E DA PROCURA



É uma relação entre a oferta de produtos e o seu mercado consumidor de tal forma que a variação de um desses dois elementos pode influenciar seu preço final. Trata-se de uma lei muito influente na sociedade e uma das principais causas de uma das maiores tragédias da economia mundial. A crise de 1929. A sociedade americana vivia um momento de euforia na década de 20. No entanto, a renda era concentrada nas mãos de poucos, a atividade agrícola não ia muito bem e a sociedade tinha um baixo poder aquisitivo. Quando as exportações daquele país diminuíram por causa da recuperação econômica da Europa, a sociedade norte-americana não teve condições de absorver toda a produção que deixou de ser exportada. Configurou-se assim uma crise de superprodução. Queda brusca de preços, desemprego galopante, falências de empresas, títulos de ações que não valiam nada. Em crise, o governo dos Estados Unidos, diminuíram investimentos e o volume de suas importações e a crise chegou aos países que dependiam de tal recursos. E assim, a crise de 1929 se tornou mundial.

A longo da República Velha (1889-1930) a  economia brasileira também passou por constantes crises de superprodução. Como o Brasil era o maior produtor mundial de café, a quantidade de café aqui produzido era capaz de modificar o preço desse produto no mercado internacional. Em períodos de supersafra, a quantidade de café no mercado internacional aumentava e assim o seu preço caía vertiginosamente, como a nossa economia não era diversificada, era dependente do café, ela entrava em crise.

Dessa forma, pela Lei da Oferta e da Procura, quanto maior for a oferta de um produto menor seu preço tende a ficar, a menos que a procura diminua na mesma proporção.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

GERALDO VIRAMUNDO


O Geraldo Viramundo que virou o mundo de Minas Gerais, na fantástica história escrita por Fernando Sabino, ao andar tanto e agir também, nos dar a oportunidade de entendermos um pouco da realidade social econômica do Brasil na virada do século XIX para o XX.  Geraldo se impressionou com o gigante de ferro que andava sobre os trilhos e que não parava na localidade onde morava. Geraldo pobre que ao rodar o mundo convive com pessoas da mesma condição social que ele, marginalizadas e penalizadas pela concentração de renda. Geraldo que se apaixona e então descobre o abismo que se abre entre ele e a moça rica e filha do governador. Geraldo que viveu em uma sociedade hipócrita, (Peidolina era criticada mas divertia os mesmos homens que foram em multirão até sua casa para repreendê-la quando o falecido seu esposo pareceu se incomodar com seu comportamento). Geraldo, por muitas vezes mal compreendido, tido como louco, mas que ainda assim virou o mundo em busca talvez da felicidade que ele nunca tivera. Geraldo que apesar das loucuras tinha espírito de liderança e consciência política.


Trata-se, certamente, de um dos mais surpreendentes personagens da nossa literatura. Leitura obrigatória de todos aqueles que apreciam tal arte.

domingo, 15 de junho de 2014

ONDE ESTÁ A AMÉRICA E QUEM SÃO AMERICANOS?


        Algumas expressões são capazes de nos deixar confusos se já não estivéssemos acostumados com elas. Por que geralmente a palavra "América" é empregada para se referir único e exclusivamente aos Estados Unidos e a palavra "americanos" aos estadunidenses? 
       É indiscutível que todas as pessoas que nascem no continente americano são americanos e a América é um continente que reúne 35 países e 18 dependências. Por que então anula-se tudo isso em detrimento de um único país e uma única nacionalidade?
       Pode-se explicar toda essa confusão pela extrema capacidade que os Estados Unidos tiveram de influenciar ideologicamente principalmente a América. A expressão "a América para os americanos" foi cunhada ainda no século XIX e demonstrava o interesse do então presidente daquele país em controlar todo o continente (A chamada Doutrina Monroe foi anunciada pelo presidente James Monroe, presidente de  1817 a 1825, em sua mensagem ao Congresso em 2 de dezembro de 1823). A palavra "americanos" já se referia aí aos estadunidenses. 
       A política econômica e militar dos EUA ao longo de todo o século XX reafirmou claramente tal intenção e o imperialismo cultural tratou de fazer uma lavagem celebral, ao sorateiramente divulgar os EUA como um exemplo que deveria ser seguido em tudo. A propaganda e ilusão da superioridade de um só país que acaba por levar as pessoas a tê-lo como representante legal de todo o continente.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

POR QUE LIBERTADORES DA AMÉRICA?




Os amantes do futebol certamente adoram assistir aos jogos de uma das competições mais tradicionais da América. No entanto, poucas pessoas se perguntam o porque que a mesma se chama Libertadores da América. Não precisa ser expert em História para pensar em dois personagens importantes no processo de independência das colônias da Espanha nesse continente. 

Sim, esta nomenclatura é uma homenagem a Simon Bolivar e San Martin. Bolívar atuou na libertação do norte da atual Venezuela, Nova Granada e Quito, e San Martín garantiu a independência da Argentina, libertando também Chile e Peru.

terça-feira, 3 de junho de 2014

A HISTÓRIA E A VIDA


Quem disse que a História é tão e somente o estudo do passado? Não demos a ela uma definição que nos induz a acreditar que a História nos tem pouca utilidade, ou nenhuma. Certo dia, um filho perguntou ao seu pai para que serve a História. Sua resposta rendeu um livro. Para alguns ela serve como passa tempo; para outros, para matar a curiosidade. A utilidade da História é inegável, e vivemos como vivemos por causa do passado que tivemos. Nunca me esquecerei da data em que nasci, da minha infância, da adolescência, da juventude, das experiências que tive, dos objetivos alcançados e dos frustrados. O que eu sou hoje dependeu totalmente do que eu fui. E o meu passado me é útil na medida em que eu saberei dos acertos e dos erros que cometi. Terei condições de saber quem eu sou e porque eu sou como sou e, principalmente, saberei onde preciso mudar. Uma pessoa que esquece seu passado é alguém que está sujeita aos mesmos erros e não sabe a medida exata daquilo que ela precisa para atingir seus objetivos. A História está tão presente no presente, que ela nos ajuda a entender nossas forças e deficiências. Aquele pai disse ao seu filho que a História é a ciência dos homens no tempo. Isso porque a história acompanha as transformações sofridas pelo homem através de suas gerações, ela então vence as barreiras da linha que divide o tempo em passado, presente e futuro. Se devemos dar a Cezar o que é de Cezar, então daremos também à História o grau de relevância que ela merece.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O IMPERIALISMO E SEUS EFFEITOS


Um dos acontecimentos que mais marcaram o mundo na contemporaneidade foi certamente, o imperialismo do final do século XIX ou neocolonialismo. A ânsia por conquistas de mercados (consumidores e produtores de matéria-prima) e as diversas formas de se conseguir riquezas, mudou o mapa político dentro e fora da Europa, tornou a África uma tragédia quando ela foi ocupada, dividida, explorada e sua variedade étnica desconsiderada. Um continente mergulhado em guerras civis cada vez mais sanguinolentas e que ainda hoje mancham a terra em diversos pontos daquele continente. Foi na África onde o neocolonialismo se mostrou mais maléfico. Não houve sequer algo parecido na Ásia e muito menos na Ámerica. 

O imperialismo esteve no centro causador da Primeira Guerra Mundial. Países europeus foram praticamente varridos do mapa e se viu o surgimento de alguns outros. Além disso, a referida guerra deu aos Estados Unidos a oportunidade de assumirem a liderança político, econômico e militar do mundo ocidental e foi tão mal acabada que, para muitos, a Segunda Guerra Mundial foi a continuação dela. Enquanto a primeira foi o estopim da Revolução Russa, da Segunda Guerra, surgiu talvez o maior conflito ideológico da história: Capitalismo X Socialismo que marcou o mundo a partir dos anos 1945.

A história do século XX pode, sem perca de detalhes, ser contada a partir desses acontecimentos e aumentar a nossa capacidade de compreender as principais características do mundo que nos cerca.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Revolução Industrial (7ª série)


Acesse o texto Consequências da Revolução Industrial e depois de copiá-lo responda às seguintes questões:

1- Qual a principal diferença entre o artesanato e a manufatura?
2- Como a Revolução Industrial aumentou a produção de mercadorias em menos tempo?
3- Em sua opinião, das consequências citadas no texto, quais são mais prejudiciais à sociedade?
4- Você sabe o que é indústria? Faça uma pequena pesquisa e registre no caderno.

5- Acesso o site "Indústrias no Espírito Santo" e faça uma lista dos oito maiores tipos de indústrias (quanto ao material produzido) presentes no Espírito Santo. Quanto à localização dessas indústrias, cite as sete cidades onde elas estão em maior número. 

domingo, 18 de maio de 2014

Constantino e o Cristianismo


Prestes a estar em uma importante batalha, Costantino tivera uma visão na qual o Deus Cristão disse a ele que com o símbolo da Cruz ele venceria. Lá se vai o exército de Constantino com o desenho da cruz nos escudos e a vitória garantida na Batalha de Ponte Mílvia, decisiva para as suas pretensões pessoais.

A vitória naquela batalha encheu Constantino de gratidão para com os cristãos e, sendo imperador, ele pôde fazer pelo cristianismo algo de extraórdinário. Em 313, juntamente com Licínio, publicou o Edito de Milão pelo qual restituía aos cristãos todos os bens confiscados e instituía a liberdade de culto no Império Romano. 

Para alguns estudiosos, Constantino foi o fundador do Cristianismo. Apesar dessa afirmativa ser um exagero, não chega a ser nenhum absurdo, pois com o imperador como patrono, o cristianismo, que já era muito forte no império, explodiu em conversões e poder.



quarta-feira, 26 de março de 2014

EXPANSÃO TERRITORIAL DO BRASIL




1-Qual o assunto da imagem?
2- Explique as causas dessa expansão do território brasileiro.
3- Acesse o site http://jchistorybrasil.webnode.com.br/expans%C3%A3o%20territorial%20e%20tratados%20de%20limites/ e descreva o Tratado de Madri.
4- Ainda no mesmo site da questão anterior, responda quais as diferenças entre entradas e monções.



A ATIVIDADE MINERADORA DO BRASIL


Pode-se dizer que a descoberta do ouro pelos bandeirantes mudaram o destino do Brasil.

Até então a atividade econômica mais importante do Brasil era o cultivo da cana-de-açúcar, a região mais economicamente importante era a nordestina, a capital do país era Salvador e a região das minas era habitada apenas pelos índios. 

Sabendo desse importante achado, milhares de pessoas se dirigiram para a região onde hoge se encontra Minas Gerais. Pessoas de diversas partes do Brasil e até mesmo de Portugal. Os paulistas logo entraram em conflitos com esses forasteiros, alegando ter direitos de explorar o ouro haja vista que foram eles que haviam encontrado. A Guerra dos Emboabas deu a vitória aos forasteiros, sobretudo aos portugueses e fez com que Portugal aumentasse o controle sobre a região, até então, terra sem lei, sem ordem, aparentemente sem dono.

A partir daí é que presenciamos o aumento dos impostos sobre praticamente todos os bens e atividades da região, inclusive sobre os escravos e a criação de órgãos fiscalizadores como a Intendência das Minas e a Intendência dos diamantes e para evitar o contrabando também foram criadas as casas de fundição.

Depois de ter lido o texto, responda as questões a seguir: (responda nos comentários. Não esqueça de escrever o nome e a turma)

1- Quem encontrou ouro nas região que depois veio a ser chamado de Minas Gerais?
2- Que mudanças a mineração trouxe para o Brasil?
3- Qual a principail causa da Guerra dos Emboabas?
4- Acesse o site http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA96wAF/historia-espirito-santo leia o texto sobre a mineração do Epírito Santo e escreva um comentário sobre o que você entendeu.
5- Pesquise nesse site o texto "a história do dinheiro" e faça as atividades.



terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

ATIVIDADE PARA AS OITAVAS SÉRIES

E aí galera, vocês podem responder àquelas questões aqui nos comentários, não esqueçam de colocar o nome e a turma. Para quem deseja rever o filme aqui está o link (http://www.youtube.com/watch?v=aU0E4FSAqw4). 

Vocês perceberam que o filme é dividido em dois vídeos, no primeiro está o relato de como ocorreu  revolução industrial nos EUA e no segundo, como foi o ´processo na Inglaterra. Os dois vídeos começam mostrando como era esses países antes da revolução, em seguida mostram como se deu as  transformações deixando claras as mudanças no método de produção, e na vida tanto dos donos de fábricas quanto dos trabalhadores. 

1- Qual a contribuição dos EUA na Revolução Industrial?
2- Qual a importância da invenção das peças de reposição?
3- Explique as frases “Onde há fábrica há pessoas” e “ as cidades passaram a atrair pessoas como imã?
4- Qual a importância do surgimento e aperfeiçoamento do motor?
5-  De exemplos citados no filme de situações que demonstram a vida difícil dos trabalhadores das fábricas e demais moradores das cidades. .
6- O que foram as reformas e qual a sua importância?
7- Pense no papel das pessoas nos eventos históricos. Em sua opinião o que impulsionou todas as invenções que possibilitaram a R.I.? O que pode levar uma pessoa a querer mudar a sua vida ou a de seu grupo? Na Inglaterra da R.I., os donos de fábricas e os trabalhadores desejavam as mesmas coisas? E hoje, o que querem os trabalhadores que, além de ganharem pouco, são penalizados pelos altos impostos e serviços públicos que funcionam precariamente?

Vocês têm até o dia 7 de fevereiro de 2014 para enviarem as respostas. 


- "Estar decidido, acima de qualquer coisa, é o segredo do sucesso".  (Henry Ford)

sábado, 25 de janeiro de 2014

AS MULHERES E A POLÍTICA NO BRASIL

A história política do Brasil é marcada pela exclusão da participação feminina em eleições municipais, estaduais e federal. O primeiro estado brasileiro a permitir o voto feminino foi o Rio Grande do Norte, em 1927. Foi também nesse estado que, em 1928, foi eleita a primeira mulher a ocupar um cargo executivo no Brasil, a potiguar Alzira Soriano, que tomou posse na prefeitura de Lajes em 1929.

O código eleitoral brasileiro de 1932 regulamentou o voto feminino, mas estabelecia algumas restrições. apenas as mulheres casadas, com autorização do marido, podiam votar, assim como viúvas e solteiras que comprovassem renda própria. O voto feminino também não era obrigatório.  Na Constituição de 1934, ele se tornou obrigatório somente para as mulheres que exerciam função pública remunerada. A obrigatoriedade do voto feminino só foi estabelecida em 1946.